POEMAS

POEMA: 1. Silêncio.

O barulho do meu silêncio é ensurdecedor.

Zumbido no ouvido.

É alto, mas só eu ouço.

De frente comigo mesmo, me evito.

Prefiro os gritos desesperados à verdade de me encarar.

Eu que tanto já pedi silêncio, imploro por um chiar, nem que seja do vento.

Xiu!

Não pra fazer silêncio, são artimanhas, é pra mim mesmo não me escutar.

Qualquer barulho vale.

@WellasDiniz


O que você achou do post?

Gostei
1
Inspirador
2
Amei
25
Necessário
8
Engraçado
0
Wellas Diniz
Escritor, produtor audiovisual, criador de conteúdo digital, editor de vídeos para cinema, TV e internet. Amo ler e escrever sobre motivação e acredito que uma boa troca de ideias é capaz de transformar o dia de alguém.

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 2 =

Mais em:POEMAS