POEMAS

POEMA: 13. Intuição e Teimosia.

Eu sabia que eu ia me ferrar, aviso não faltou.

Meu corpo falou, a voz da minha cabeça gritou, mas eu preferi abraçar a minha teimosia.

Não teve erro, me ferrei.

Por mais que eu saiba, eu sou do tipo que precisa ver pra crer.

Vi, senti, aprendi.

Toda vez que não ouço a minha intuição, machuco o meu coração.

E assim eu sigo, entre intuição e teimosia, a luta é constante, mas a lição é clara:

Ouvir a si mesmo, é sempre a melhor saída, seja pela voz do corpo, seja pela voz da intuição.

E se mesmo assim eu falhar, e a teimosia me vencer, que eu possa aprender, e não desistir de tentar.

No fim, aprender é o que sempre vale.

@WellasDiniz

O que você achou do post?

Gostei
1
Inspirador
0
Amei
9
Necessário
0
Engraçado
0
Wellas Diniz
Escritor, produtor audiovisual, criador de conteúdo digital, editor de vídeos para cinema, TV e internet. Amo ler e escrever sobre motivação e acredito que uma boa troca de ideias é capaz de transformar o dia de alguém.

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × um =

Mais em:POEMAS